O padrão TISS (Troca de Informações na Saúde Suplementar) é um modelo obrigatório para registro de informações entre as operadoras de saúde e os prestadores de serviços dentro da área médica. Já o TUSS (Terminologia Unificada da Saúde Suplementar) complementa a TISS padronizando terminologias e procedimentos médicos de acordo com a CBHPM.

 Se você ainda não sabe a diferença entre TISS e TUSS, vem com a gente e fique por dentro de tudo!

A principal dúvida que pode surgir é: existe diferença entre TISS e TUSS? Apesar da semelhança entre as siglas, há diferenças distintas entre cada uma e na forma como utilizá-las.

Ou seja, o padrão TISS (Troca de Informações na Saúde Suplementar), de acordo com a ANS, é um “padrão obrigatório para as trocas eletrônicas de dados de atenção à saúde dos beneficiários de planos.”

Vale ainda ressaltar que a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) é um elemento importante nesse assunto, visto que, desde 2005, a instituição vem estabelecendo um padrão para a troca de informações saúde suplementar: essa é a TISS.

 Uma dica importante é que torna-se obrigatório o envio dessas informações para a ANS, sendo responsabilidade das operadoras de saúde realizarem o envio. 

Mas, e a TUSS? 😕

Se você quer entender a diferença entre os dois padrões TISS e TUSS, continue a leitura, tudo o que você precisa saber está nas próximas linhas!

Qual a diferença entre TUSS e TISS?

A principal  diferença consiste no fato de o padrão TISS (Troca de Informações na Saúde Suplementar) ser um modelo obrigatório para registro de informações entre as operadoras de saúde e os prestadores de serviços dentro da área médica. 

Já a TUSS (Terminologia Unificada da Saúde Suplementar) complementa a TISS padronizando terminologias e procedimentos médicos de acordo com a Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos. Ou seja, a TUSS tem o papel de padronizar códigos, terminologias e nomenclaturas!

Antes de qualquer coisa, a TISS é organizada em 5 componentes, são eles:

  1. Organizacional: resumidamente é o conjunto de regras ligadas à operação;
  2. Estrutura e conteúdo: consiste na arquitetura dos dados, sendo na distribuição ou aquisição destes dados;
  3. Representação de conceitos: é a padronização dos termos;
  4. Segurança e Privacidade: deve garantir a proteção e o sigilo do paciente;
  5. Comunicação: métodos e meios de comunicação para padronizar o envio de mensagens eletrônicas.

Além disso, o objetivo da TUSS é padronizar nomenclaturas e estabelecer códigos, a fim de facilitar a comunicação entre as operadoras de saúde e os profissionais de saúde, ou seja, aqueles que trabalham diretamente com o faturamento médico.

Sendo composta apenas por códigos e nomenclaturas, a TUSS é dividida em 4 componentes:

  1. Procedimentos Médicos;
  2. Materiais e medicamentos;
  3. Órteses, próteses e materiais especiais;
  4. Diárias e taxas.

⚠️ Importante: a TUSS é obrigatória desde 2010, então, cumpra as exigências e evite multas!

Como preencher guia TISS e TUSS?

As guias TISS são preenchidas de acordo com o padrão TISS, para isso, temos quatro tipo de guias, sendo elas:

Guia de consulta

As guias de consulta são utilizadas para consultas, não é mesmo? 😁

Para o preenchimento correto, alguns itens são obrigatórios, sendo eles: o registro na ANS – aquele registro da operadora junto à ANS. Não se esqueça do número da guia; o número da carteirinha do paciente e o nome do profissional executante. 

Para não ficarmos só na teoria, tem um exemplo de uma guia de consulta bem aqui!

Para saber mais, recomendo esse manual de preenchimento de guias médicas! Acesse aqui!

Guia de procedimentos (SADT)

As guias de SP/SADT são para informar ao convênio que o paciente realizou um procedimento que deve ser pago pelo plano de saúde. 

Este tipo de guia precisa ser mais detalhado, pois inclui o detalhamento dos procedimentos, as despesas anexas e os códigos dos procedimentos. 

Veja um exemplo de código como “10101012” que é utilizado para procedimento “consulta em consultório”.

Mas, não é novidade que um software médico faz isso tudo para você de forma automática! 

Guia de solicitação de internação e de honorários médicos

Esse tipo de guia não é muito diferente das outras no que tange a itens obrigatórios, entretanto, é importante ressaltar que o preenchimento de dados obrigatórios é o que vai te ajudar a evitar as glosas no faturamento médico.

Clicando aqui, você consegue visualizar como é uma guia de solicitação de internação

O que é TISS e TUSS no faturamento médico?

Como você já deve saber, o faturamento em clínicas ou consultórios é um elemento muito importante para uma boa gestão financeira. 

Pensando nisso, a TISS e TUSS são também muito importantes nesse processo, afinal, são normas obrigatórias e, mantendo tudo conforme o estabelecido pela ANS, você pode evitar prejudicar o seu faturamento com as glosas de serviços médicos.

Por isso, entender a diferença e a importância entre os dois termos pode te ajudar, e muito, a resolver questões como essa, evitando a  dor de cabeça de lidar com as glosas e prejudicar o faturamento.

 Dica: um artigo muito importante para entender um pouco mais do início da TISS e de toda a sua história está aqui!

Gostou do nosso conteúdo? Há mais dicas no nosso blog, quer dar uma olhada? Veja a seguir o que eu separei para você! 

  1. O que analisar no faturamento de contas médicas?
  2. Software de gestão para clínicas: por que usar no departamento financeiro?

Perguntas frequentes:

O que é TISS e TUSS?

O padrão TISS (Troca de Informações na Saúde Suplementar), de acordo com a ANS, é um “padrão obrigatório para as trocas eletrônicas de dados de atenção à saúde dos beneficiários de planos.”. O padrão TUSS é a padronização de termos e códigos médicos.

Como consultar TUSS e TISS?

Você pode consultar tanto a TISS quanto a TUSS pelo portal da ANS. Clicando aqui,você terá acesso ao manual da TISS, todas as suas especificações e poderá sanar suas dúvidas de uma vez por todas.

Como preencher as guia de consulta?

Para o preenchimento correto, alguns itens são obrigatórios, sendo eles: o registro na ANS – aquele registro da operadora junto à ANS. Não se esqueça do número da guia; o número da carteirinha do paciente e o nome do profissional executante.