Categorias
Gestão para clínicas

O que é margem EBITDA e como impacta as clínicas médicas?

Avaliar o desempenho de uma clínica ou consultório exige consistência e regularidade. Só é possível colocar esse cenário em prática com o apoio de bons indicadores.

A margem EBITDA é um dos parâmetros que ajuda a compreender o momento de uma empresa, especialmente no que se refere à saúde financeira.

Com o uso deste indicador-chave em clínicas, é possível identificar a necessidade de ajustes na operação e, ao longo do tempo, a efetividade das decisões gerenciais.

O que é e para que serve a margem EBITDA?

O significado da sigla EBITDA já oferece pistas sobre do que se trata o indicador. Em inglês, o termo quer dizer:

Earning

Before

Interest

Taxes

Depreciation and

Amortization.

Quando traduzida para o português, a expressão se torna LAJIDA, ou seja, Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização.

De forma mais detalhada, o EBITDA revela o lucro de um negócio baseado apenas nos resultados operacionais, sem considerar juros, impostos, depreciação e amortização.

Esses elementos, embora sejam importantes para uma análise financeira completa, não estão diretamente associados à capacidade da empresa em gerar lucro.

São dois indicadores que podem se desdobrar a partir desse conceito:

  1. O EBITDA é um valor absoluto, que mostra o lucro alcançado com as atividades operacionais;
  2. A margem EBITDA é um indicador relativo, um percentual obtido entre o resultado do EBITDA e a receita líquida da empresa.

Tanto o EBITDA quanto a margem EBITDA são importantes e, quando ambos são usados em conjunto, a gestão tem um panorama mais apurado sobre a eficiência operacional do negócio.

Em clínicas médicas, esses indicadores mensuram se a receita com consultas e procedimentos permite que a geração de caixa seja maior do que as despesas.

Além de apoiar os gestores na tomada de decisão, a margem EBITDA também facilita a análise dos possíveis investidores.

Empresas de capital aberto, ou que têm intenção de atrair investimentos, precisam disponibilizar esse indicador ao mercado. É uma forma de assegurar a competência da gestão financeira e operacional.

Como calcular a margem EBITDA?

Agora que já está mais claro o que é margem EBITDA e qual a sua importância, vamos partir para a prática!

O ponto de partida para o cálculo do EBITDA é ter acesso à Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), em que constam as informações necessárias. Esse relatório faz parte dos arquivos de contabilidade da empresa.

Com a DRE em mãos, aplique as seguintes etapas:

  • Encontre o valor do lucro líquido e some às despesas com impostos e tributos para chegar ao lucro sem tributação;
  • Some, também, os valores de depreciação e amortização;
  • Subtraia da soma total as receitas não provenientes de atividades operacionais. Isso inclui, por exemplo, empréstimos e retorno sobre aplicação de capital.

Até aqui, chegamos ao resultado do EBITDA. Agora, vamos calcular o percentual que se refere à margem EBITDA:

  • Divida o EBITDA pela receita líquida;
  • Multiplique o resultado por 100, chegando à margem EBITDA para o período que está sendo analisado.

Ficou confuso de entender? Veja, a seguir, o exemplo de um possível cenário mensal em uma clínica médica.

Cálculo do EBITDA

R$38.000 (lucro líquido) + R$5.700 (despesas com impostos e tributos) + R$1060 (depreciação) + R$650 (amortização) – R$1200 (receita com aplicação de capital) = R$44.210 (EBITDA)

Cálculo da margem EBITDA

R$44.210 (EBITDA) / R$135.000 (receita líquida) = 32,74% (margem EBITDA)

Um ponto importante é que o resultado da margem EBITDA deve ser, obrigatoriamente, menor do que 1. A explicação é bastante lógica: uma empresa não pode gerar lucro maior do que a própria receita.

Há chance de se chegar a um percentual negativo. Esse resultado é um sinal de alerta e precisa ser avaliado com atenção, porque mostra prejuízo na operação do negócio.

Analisando a lucratividade com margem EBITDA

Os números precisam de contexto para que ganhem valor estratégico; com a margem EBITDA acontece o mesmo. Assim, a primeira coisa a ser feita é interpretar o que está por trás do percentual.

Com o resultado de EBITDA robusto, pode parecer que a empresa está em uma situação bastante favorável. Mas, se esse valor for muito menor do que a receita líquida, ou seja, se a margem for baixa, percebemos que existe uma demanda por melhorias.

Vamos simular alguns números para que você possa visualizar as informações:

Em um determinado mês, uma clínica médica alcançou receita líquida de R$280.000 e EBITDA de R$52.000. Dessa forma, a margem EBITDA para o período foi de 18,5%. Apesar do desempenho positivo, a gestão precisa se questionar: há espaço para superar esse resultado? O indicador de 18,5% está coerente com o mercado?

Comparativos: entre períodos e concorrência

Calcular a margem EBITDA com base apenas nos resultados de um período pode não ser o suficiente. A avaliação de indicadores necessita de bases comparativas, por isso é fundamental realizar os cálculos constantemente.

Se considerarmos que a clínica médica do exemplo anterior reuniu dados dos últimos 12 meses, o panorama de análise fica amplo. A partir dos relatórios, é possível observar que a margem EBITDA variou entre 17% e 20% nos últimos quatro meses, depois de sofrer uma queda de quase 10%.

Nesse sentido, quais mudanças internas ou externas podem ter influenciado a queda? Há como recuperar o índice anterior? Essa é uma oscilação pontual ou que pode se repetir anualmente? Essas são algumas reflexões sobre as quais a gestão deve se debruçar.

A comparação da margem EBITDA pode se estender também à concorrência. Isso só é possível porque, em 2012, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) criou a padronização para cálculo do EBITDA.

Assim, tornou-se uma prática comum confrontar os indicadores entre negócios que atuam no mesmo segmento.

Como aplicar em clínicas e consultórios?

No contexto das clínicas e consultórios, a margem EBITDA tem grande utilidade. A equipe responsável pela gestão da empresa deve estabelecer o intervalo de análise do indicador, dedicando-se a um estudo comparativo de períodos anteriores e concorrência direta.

Alguns pontos interferem diretamente no lucro de estabelecimentos de saúde:

Como o objetivo da margem EBITDA é o lucro operacional, devem ser priorizados ajustes que, no dia a dia da empresa, reduzam despesas e tenham potencial para incrementar as receitas. A assertividade das decisões fica evidente nos relatórios seguintes.

Limitações e outros indicadores financeiros para a sua clínica

A margem EBITDA deve integrar um grupo de indicadores que avalia o desempenho do seu negócio. Como cada dado se concentra em um fator da empresa, é o conjunto que permite uma análise mais substancial.

No caso do EBITDA, as receitas e despesas no cálculo são apenas operacionais. Isso significa que não entram nesse indicador possíveis dívidas assumidas pela empresa. Mas isso pode ser de grande impacto para a gestão financeira do negócio, principalmente em razão dos juros. Então, não há como ignorá-lo!

A definição de indicadores pode ser bastante particular, mas há algumas variáveis que atendem clínicas e consultórios de forma geral. Veja algumas sugestões:

Ticket médio

Aponta o valor médio que cada atendimento rendeu para a clínica durante o período. É calculado dividindo o resultado do faturamento pelo número total de serviços prestados.

Margem de contribuição

Deduz as despesas necessárias para realizar cada atendimento do valor que a clínica cobra do cliente, identificando qual é a margem de lucro.

Tempo médio de atendimento e espera

De caráter qualitativo, esses indicadores estão associados à experiência do paciente na clínica e à eficiência dos profissionais no atendimento.

Dívida líquida

Esse é o valor da dívida de uma empresa, considerando empréstimos e financiamentos. Ao dividir a dívida líquida pelo EBITDA, você pode identificar a capacidade de um negócio em pagar o que deve a partir do seu lucro operacional.

Para finalizar, estabeleça metas de avaliação de performance da sua clínica médica. Faça pesquisas de mercado, identifique a sua capacidade interna e determine quais seriam os resultados esperados para cada indicador.

Também é importante lembrar-se de que os indicadores de desempenho e a gestão financeira são apenas parte da administração da clínica. Um negócio sustentável, com atendimento de excelência, une vários instrumentos dentro da sua estratégia.

Quero aprender sobre gestão financeira de clínicas!

Perguntas frequentes:

O que é margem EBITDA?

A margem EBITDA é o percentual que relaciona o lucro operacional com a receita líquida de uma empresa.

Para que serve a margem EBITDA em clínicas?

Mostra a capacidade da clínica em gerar lucro com base apenas nos serviços prestados: consultas, exames, procedimentos, entre outros.

Como a margem EBITDA impacta clínicas e consultórios?

A partir desse indicador, é possível comparar resultados até mesmo com a concorrência e tomar a decisão de ajustes operacionais para aumentar o potencial de lucro.

Categorias
Gestão para clínicas

Conheça a funcionalidade de sala de espera do Feegow Clinic

Manter uma sala de espera confortável e organizada deve ser um dos maiores objetivos em clínicas e consultórios. Ir ao médico, muitas vezes, é um fator de incômodo para o paciente, que pode não estar com a sua saúde 100%. Por isso, a experiência oferecida deve ser a melhor possível.

Assim, evitar recepções cheias e atrasos nos atendimentos deve ser uma prioridade. Com um sistema de gestão de agendas e uma prática humanizada, você é capaz de atingir essa excelência rapidamente. Saiba como, a seguir!

Qual é a importância da sala de espera para o paciente?

A sala de espera de uma clínica ou consultório deve ser um local seguro e confortável. Isso porque, dependendo da especialidade médica, do tipo de consulta e/ou dos sintomas, o paciente pode se sentir ansioso ou angustiado.

Devido a práticas inadequadas anos atrás, a sala de espera traz uma imagem de demora no atendimento. Portanto, é importante mostrar eficiência no serviço prestado logo que o paciente chega à clínica. Até porque, se o atendimento for ruim ou a espera muito longa, é possível que ele não retorne.

Pedir informações que o cliente já forneceu anteriormente, fazê-lo preencher documentos e levar muito tempo para recepcioná-lo são ações a serem banidas do seu cotidiano. Por outro lado, ter os dados do paciente em seu sistema agiliza os atendimentos e eleva o grau de satisfação.

Para evitar potenciais fatores de estresse nos pacientes e garantir sua satisfação com a clínica, a sala de espera deve atender a todos esses requisitos. Mas, como fazer isso?

Dicas para evitar uma sala de espera cheia

O objetivo de toda clínica médica deve ser reduzir a sensação de desconforto em seus pacientes e manter a sala de espera sem tumulto. Para isso, é preciso ter controle sobre a agenda e horários bem definidos.

Nesse sentido, trouxemos algumas dicas importantes a seguir!

Treine sua equipe de recepcionistas

Treinar as pessoas responsáveis pela organização da agenda é fundamental para um atendimento ágil. Afinal, elas precisam operar as ferramentas disponíveis e entender as regras básicas para os agendamentos, como tempo de consulta e respeito aos intervalos.

Calcule o tempo médio dos atendimentos

Cada tipo de consulta ou procedimento demanda um tempo diferente. Portanto, a equipe clínica deve estar ciente disso sempre que realizar novos agendamentos.

Os intervalos entre consultas também são margens importantes para casos de demora nos atendimentos – dessa forma, os horários seguintes não ficam atrasados.

Envie lembretes de consultas

Os lembretes de consulta evitam que os pacientes apareçam na clínica no horário errado, se esqueçam ou cheguem atrasados. Esta simples ação pode impedir que sua sala de espera fique cheia. É possível emiti-los através do envio de mensagens automáticas via SMS e WhatsApp, ou por integração com o Google Agenda.


Como usar a tecnologia na sala de espera?

Há várias maneiras de implementar a tecnologia na sala de espera de seu consultório. É possível disponibilizar wi-fi, soluções interativas para crianças e plugs USB para celulares.

Para agregar valor no atendimento, é preciso ser eficiente desde a chegada do paciente na clínica. Se você quer se destacar e oferecer serviços de excelência, leve em conta as seguintes tecnologias:

Totem de atendimento

O uso de totem para clínica médica incentiva o autoatendimento e a menor necessidade de intervenção humana na recepção. A ferramenta oferece senhas de acordo com o tipo de atendimento que o paciente deseja.

Um totem oferece autonomia e pode impactar positivamente a experiência, por ser fácil de usar. Assim, os colaboradores atendem por ordem de prioridade e chegada.

Check-in eletrônico

A ferramenta de check-in é importante para organizar a sala de espera e monitorar quanto tempo o paciente permanece na clínica. Ele é acompanhado desde o momento em que entra no estabelecimento até a finalização da sua consulta.

Através desta solução, é possível até agilizar pagamentos de consultas e procedimentos.

Armazenamento em nuvem

Muitos sistemas contam com este recurso, já que é um dos mais seguros para armazenar as informações da sua clínica. A nuvem evita perdas de dados e históricos do paciente, entre outros registros importantes.

Além disso, pelo fato de ter acesso online, o médico pode ler o prontuário do paciente antes mesmo de chegar ao consultório – tudo de forma remota.

Prontuário eletrônico

Ter acesso rápido aos dados completos dos pacientes agiliza a etapa de check-in. Isso porque visualizar o seu histórico, incluindo anamneses e exames, ajuda tanto a recepção quanto os próprios médicos.

O prontuário eletrônico também evita que o paciente precise repetir todo o seu histórico clínico, do qual ele pode esquecer detalhes importantes.

O próprio sistema já resgata estas entradas anteriores, auxiliando o processo do médico.

Recursos do Feegow Clinic para a sua sala de espera

Uma sala de espera otimizada oferece vantagens em termos de eficiência. Nesse sentido, um software para gestão clínica pode também agregar valor ao atendimento, pois diminui seu tempo de espera e melhora a experiência dos seus pacientes.

As soluções oferecidas pelo Feegow Clinic ajudam a organizar a clínica como um todo, desde o faturamento até a recepção. Em nossa plataforma, disponibilizamos um módulo exclusivo de agendamento com várias funcionalidades – dentre elas, uma é dedicada à sala de espera.

Estes recursos evitam que o paciente perca muito tempo na clínica, agilizando em paralelo as atividades da recepção. Veja as principais ferramentas que disponibilizamos:

  • Armazenamento em nuvem;
  • Prontuário eletrônico do paciente;
  • Gerenciador de fila de espera;
  • Totem de atendimento;
  • Acompanhamento em tempo real;
  • Check-in e checkout digitais;
  • Chamada de pacientes pela TV.

Todas estas soluções estão disponíveis no Feegow Clinic, podendo ser incorporadas ao seu atendimento para oferecer serviços de maior qualidade.

OBS: Alguns desses recursos são adicionais. Consulte nossas opções de planos.

Conheça as mais de 200 funcionalidades do nosso software e peça uma demonstração!

Perguntas frequentes:

Qual é a importância da sala de espera em clínicas?

A sala de espera em clínicas ou consultórios é uma espécie de cartão de visitas. Por isso, deve ser um local seguro e confortável.

Por que evitar uma sala de espera cheia?

Ir ao médico pode ser um tanto incômodo para o paciente. Por isso, sua experiência deve ser a melhor possível. Evitar recepções cheias e atrasos nos atendimentos deve ser uma prioridade. 

Como a tecnologia pode ajudar na sala de espera?

O uso de tecnologia na sala de espera ajuda a oferecer serviços de excelência e otimiza o tempo do paciente que aguarda na fila.

Este site utiliza cookies para otimizar a sua experiência de navegação!