Categorias
Gestão para clínicas Tecnologia para clínicas

Prontuário eletrônico: 5 estratégias para otimizar o atendimento ao paciente

Você já usa o Prontuário Eletrônico na sua clínica ou consultório e quer saber como usá-lo para otimizar o atendimento ao paciente? Então, este post é para você!

Imagine ter, em um só único lugar, todas as informações do seu paciente. Com o prontuário médico eletrônico, de forma rápida e otimizada, você acessa as informações dos seus pacientes de qualquer lugar conectado à internet.

O uso de prontuário eletrônico tornou-se uma realidade indispensável ao trabalho de médicos, clínicas e hospitais para agilizar e aperfeiçoar o atendimento ao paciente. 

Trata-se de um documento de responsabilidade não só do médico, mas de toda a equipe. Ele abrange todo o conjunto de informações a respeito do paciente.

O Conselho Federal de Medicina, através da Resolução n° 1.638/2002, procurou estabelecer critérios para o uso obrigatório do prontuário médico no atendimento à saúde. 

O CFM reconheceu a importância desse documento não só para o paciente, mas também para o médico que o assiste. Isso também interessa à instituição envolvida, para fornecer dados para pesquisas e até mesmo como instrumento de defesa em ações legais.

Continue a leitura para saber como otimizar o atendimento em clínicas e consultórios com a ajuda do prontuário eletrônico: fique por dentro de tudo!

Vantagens do prontuário eletrônico

Com o desenvolvimento das tecnologias da informação, o setor de saúde tem sido incrementado com o emprego do Prontuário Eletrônico.

Ele tem sido um instrumento necessário para garantir o acesso a informações relativas ao paciente, que passam a ser armazenadas em formato digital. 

Com mais de 48%, o prontuário médico eletrônico é a ferramenta digital mais utilizada nos consultórios médicos. 

O objetivo principal é permitir a qualidade do atendimento, a veracidade da informação e assistência em diversos lugares e situações.

Como prontuário médico eletrônico, a forma eletrônica e digitalizada do documento deve possibilitar reunir todas as informações a respeito do paciente. E, além disso, oferece vantagens a mais em relação ao prontuário de papel. Eis algumas: 

– Facilidade de acesso; 

– Agilidade na localização das informações; 

– Melhor atendimento e maior confiança entre médico e paciente.

O prontuário eletrônico médico permite a integração de dados de diferentes sistemas. Isso reduz a necessidade de transcrições manuais e evita riscos de erros significativos.

Ele também possibilita a capacidade de se implantar mecanismos de controle de acesso, sistemas de auditoria e assinaturas digitais. Essas ações asseguram níveis de segurança maiores do que os equivalentes em papel.


Itens obrigatórios

A resolução do CFM define claramente quais são os itens que deverão constar obrigatoriamente no prontuário confeccionado seja ele em papel ou eletrônico.

Quais são os itens obrigatórios no Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP)?

1) Identificação do paciente – nome completo, data de nascimento (dia, mês e ano com quatro dígitos), sexo, nome da mãe, naturalidade (indicando o município e o estado de nascimento), endereço completo (nome da via pública, número, complemento, bairro/distrito, município, estado e CEP);

2) Anamnese, exame físico, exames complementares solicitados e seus respectivos resultados, hipóteses diagnósticas, diagnóstico definitivo e tratamento efetuado;

3) Evolução diária do paciente, com data e hora, discriminação de todos os procedimentos aos quais o mesmo foi submetido e identificação dos profissionais que os realizaram, assinados eletronicamente quando elaborados e/ou armazenados em meio eletrônico;

4) Nos prontuários em suporte de papel é obrigatória a legibilidade da letra do profissional que atendeu o paciente, bem como a identificação dos profissionais prestadores do atendimento. São também obrigatórios a assinatura e o respectivo número do CRM;

5) Nos casos emergenciais, nos quais seja impossível a colheita de história clínica do paciente, deverá constar relato médico completo de todos os procedimentos realizados e que tenham possibilitado o diagnóstico e/ou a remoção para outra unidade.

5 estratégias para otimizar o atendimento

Levando em consideração as recomendações da resolução do CFM, veja como é possível otimizar o atendimento ao paciente a partir de estratégias simples no uso do prontuário eletrônico:

Identificação do paciente

O conhecimento do paciente vai além dos seus dados básicos. É preciso dispor de maior acessibilidade de todo o histórico do tratamento do paciente.

Conscientização

O emprego de novas tecnologias requer mudança de mentalidade. É preciso tomar consciência de que o uso dos recursos digitais proporcionam maior eficiência, agilidade, economia e otimização do atendimento.

Tempo de qualidade

O tempo é um dos principais fatores no atendimento médico. É preciso reduzir o tempo médio de atendimento do paciente.

Economia

A OMS reconhece que quanto mais se investe na qualidade do atendimento, mais se reduz o custo final.

Atenção ao paciente

Treinar a equipe médica e de atendimento. O foco é passar mais tempo com o paciente, reduzindo os riscos e aumentando a qualidade.

Quer testar o software médico #1 em recursos? Com o Prontuário Eletrônico com certificação SBIS-CFM? Clique aqui!

Gostou do nosso conteúdo? Listei para você alguns outros temas que vão te ajudar a solucionar as suas dúvidas ainda hoje!

  1. 4 estratégias para melhorar o atendimento em clínicas;

  2. Gestão de Tarefas: ferramentas que podem ajudar na melhoria de clínicas;

  3. Como otimizar as tarefas da sua clínica;
 

Perguntas Frequentes

O que é o prontuário eletrônico do paciente?

O Prontuário eletrônico do Paciente é a versão digital do prontuário médico tradicional, aquele que o médico preenche manualmente durante uma consulta.

Como funciona o prontuário eletrônico?

A sua utilização é mediada por um sistema médico, que fica responsável por armazenar os dados e mantê-los à disposição do médico e do paciente sempre que precisarem. Através do prontuário eletrônico, o médico tem acesso a todo o histórico do seu paciente, e isso vai desde o primeiro agendamento na clínica até resultados de exames e tratamentos realizados.

Quais são as principais vantagens do prontuário eletrônico?

Com o prontuário médico, a forma eletrônica e digitalizada do documento possibilita reunir todas as informações a respeito do paciente. E, além disso, o prontuário eletrônico permite a integração de dados de diferentes sistemas. Isso reduz a necessidade de transcrições manuais e evita riscos de erros significativos.

Categorias
Tecnologia para clínicas

Tecnologia em medicina: Inovação e novas tecnologias melhoram a qualidade de vida

O uso de tecnologia em medicina representa cada vez mais um grande avanço no cuidado com a saúde.

As inovações tecnológicas ajudam não só que as pessoas vivam mais, como também que vivam melhor.

A expectativa de vida tem aumentado. Há sessenta anos, um brasileiro vivia em média 48 anos.

Hoje, a vida média do brasileiro ultrapassa os 75 anos. Isso é um sinal evidente do desenvolvimento social e econômico que o país experimentou nas últimas décadas. Mas também se constitui um fator que exige mais atenção da área de saúde. Sobretudo com os cuidados com a velhice e a garantia da qualidade de vida.

Tecnologia em Medicina e saúde

É preciso garantir às pessoas as condições para que tenham acesso não só a uma vida mais longa, mas também com maior qualidade. Por isso mesmo, a medicina tem demonstrado muito interesse quanto à tecnologia e à inovação. O foco tem sido o de encontrar modos de atender as demandas de uma sociedade que requer novos cuidados.

Quando falamos de tecnologia em medicina, logo vêm à mente os avanços das pesquisas na área de equipamentos para diagnósticos de doenças, de medicamentos mais avançados e do uso da inteligência para tratamento de doenças. Atualmente, podemos falar que existem mais de 500 mil tecnologias médicas disponíveis, que incluem desde exames laboratoriais até tratamentos complexos de doenças em estágios avançados.

Porém, o uso da tecnologia não se restringe apenas ao campo dos diagnósticos e terapias. Ela pode envolver toda a cadeia de atendimento ao paciente, proporcionando melhor atendimento e contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico do país.

Veja alguns benefícios do uso da tecnologia em saúde:

  1. Diagnósticos mais precisos;
  2. Tratamentos mais eficazes;
  3. Redução de custos;
  4. Eficiência no atendimento;
  5. Monitoramento do paciente a distância.

Tecnologia em Medicina e gestão

Outra área em que a tecnologia em medicina se tornou imprescindível é a de gestão hospitalar. Novos modelos de integração de informações sobre pacientes ajudam a reduzir custos, diminuir problemas em agendamentos de consultas e o monitoramento a distância de procedimentos terapêuticos.

A tecnologia para gestão médica se faz uma ferramenta indispensável para que hospitais e clínicas possam oferecer um atendimento de qualidade e mais humanizado aos seus pacientes. Por isso, o uso de sistemas informatizados de gestão passou a ser um investimento com total garantia de resultados positivos. Isso aumenta a produtividade e proporciona maior excelência no atendimento.

Empresas de tecnologia de informação dedicadas à gestão de clínicas têm se especializado cada vez mais em otimizar o atendimento, oferecendo aplicações customizadas e direcionadas para reduzir custos e a orientar melhor os tratamentos.

Perguntas Frequentes:

Quais são os benefícios da tecnologia em saúde?

  1. Diagnósticos mais precisos;
  2. Tratamentos mais eficazes;
  3. Redução de custos;
  4. Eficiência no atendimento;
  5. Monitoramento do paciente a distância.

A telemedicina é a mais recente tecnologia em saúde?

Não! Apesar de ter ganhado bastante atenção nos últimos anos, principalmente durante a pandemia da covid-19, a telemedicina começou a ganhar força nos anos 50 nos Estados Unidos.

A tecnologia em saúde é reconhecida pela OMS?

Sim! A Organização Mundial da Saúde apoia a presença de tecnologia na saúde e possui diretrizes sobre como usá-la.

Categorias
Gestão para clínicas

Gestão de Clínica Médica: como organizar a sua clínica em 3 passos

Qual a maior dificuldade da gestão médica?

A gestão médica é o principal desafio de médicos gestores. Para muitos, uma boa gestão clínica precisa apresentar bons resultados, além de alavancar os lucros da empresa

Gerenciar uma clínica é uma atividade que requer habilidades e competências de gestão como acontece em todo negócio.

Entretanto, a gestão médica vai além do financeiro, sendo obrigatória, também, na agenda médica e em outras áreas da sua clínica.

Muitos profissionais de saúde – especialmente médicos, dentistas e psicólogos – têm relatado suas dificuldades em tornar seu empreendimento mais eficiente, atraente e lucrativo.

Isso tem a ver com a capacidade para se conciliar a atividade médica com as ações de um empreendedor.

Os principais problemas enfrentados na gestão médica têm a ver com o absenteísmo, a fidelização dos pacientes, melhoria na eficiência e no controle dos exames e solução de problemas de comunicação entre a equipe.

Para encorajar você a se aperfeiçoar nessa área, veja os três passos que não podem ser esquecidos quando se trata de organizar seu consultório ou clínica.

Levando gestão de clínica médica a sério:

1) Conheça seus pacientes

O foco de um consultório ou clínica é cuidar de pessoas, ou seja, todos os processos devem estar voltados para um atendimento mais humanizado.

Para manter médicos e pacientes conectados e para criar um ambiente mais acolhedor.

Para isso, seus pacientes precisam se sentir em casa. Para isso, você vai precisar de um bom controle de agendamento de consultas.

Uma área de recepção bem cuidada e com visual agradável contribui para que seus pacientes se sintam confortáveis. Além disso, quando o pessoal da recepção é bem orientado e age de modo atencioso.

Isso ajuda aos seus pacientes a se sentirem mais acolhidos. Portanto, o ambiente e o relacionamento da equipe demonstram a qualidade da gestão médica.

Desse modo, há, também, aqueles problemas comuns em rotinas de uma clínica.

Por exemplo: você sabe quantos pacientes estão na fila de espera para o atendimento? Qual o índice de cancelamentos em última hora? Quais médicos têm vaga para encaixes de emergência?

São questões cuja solução envolve um certo esforço de treinamento, planejamento e organização.

2) Controle suas finanças

Mais do que nunca, você deve cuidar bem do seu dinheiro.

Existem algumas práticas comuns que acabam com qualquer plano de gestão, inclusive nos estabelecimentos de saúde. Não misture gastos pessoais e do consultório.

Esse é o primeiro passo para o descontrole e para a falta de apuração de lucros e custos reais.

Você também vai precisar encontrar formas de facilitar o registro, o planejamento e a análise das finanças de seu negócio.

Deve se certificar de que sua atividade está realmente sendo lucrativa e se você é devidamente recompensado por isso.

Uma clínica é um negócio e, como tal, precisa de estratégias de gestão financeira adequada.

Como fazer isso? Facilite a criação de índices cadastrando uma base e elaborando planilhas de fornecedores, contas pagas, receitas e faturamento.

Isso ajudará você a saber quanto lucrou, quanto deve reinvestir e o quanto faltou para fechar o mês!

São itens essenciais para que todo empreendedor se certifique se sua atividade está dando bons resultados.

3) Treine sua equipe

Seu pessoal de apoio, principalmente no atendimento ao público, é o seu melhor e mais imediato cartão de visita.

Portanto, eles devem estar com mais disposição para atender aos pacientes com respeito e atenção!

Um dos fatores que causam estresse para secretárias e atendentes é a rotina dos registros e controles de agendas, planilhas e relatórios.

Afinal, lidar com prontuários, emissão de guias de convênios e controle de cartão de crédito são algumas das tarefas que promovem desgaste emocional e alteram o humor dos trabalhadores.

Como são atividades que envolvem dedicação de tempo, você vai precisar de um sistema informatizado para auxiliar.

Atualmente, o mercado está repleto de programas e softwares que facilitam a vida de uma clínica. Logo, o problema é saber relacionar custo e benefício para que não arranje um problema maior.

Gestão de clínica médica sem complicações?

Lembre-se, se estamos pensando em informatizar a clínica, é bom fugir de coisas complicadas e cheias de exigências de infraestrutura.

Quando o assunto é gestão médica, quanto mais simples, melhor.

Pesquise algo online, com tecnologia na nuvem, para facilitar o seu acesso e dos outros profissionais que trabalham com você.

Dica do post: você já sabe a importância de automatizar a sua clínica para garantir uma gestão de clínicas médicas mais eficiente? Clique aqui e baixe gratuitamente o nosso e-Book com dicas para automatizar a sua clínica hoje mesmo!!

Perguntas frequentes:

Como criar uma boa recepção em clínicas?

Uma área de recepção bem cuidada e com visual agradável contribui para que seus pacientes se sintam confortáveis. Além disso, quando o pessoal da recepção é bem orientado e age de modo atencioso, isso ajuda aos seus pacientes a se sentirem mais acolhidos. O ambiente e o relacionamento da equipe demonstram a qualidade da gestão médica.

Como melhorar a gestão médica?

Se estamos pensando em informatizar a clínica, é bom fugir de coisas complicadas e cheias de exigências de infraestrutura. Quando o assunto é gestão médica, quanto mais simples, melhor. Pesquise algo online, com tecnologia na nuvem, para facilitar o seu acesso e dos outros profissionais que trabalham com você.

Qual a importância da tecnologia para a medicina?

Não é segredo que a intenção de se utilizar a tecnologia na medicina é melhorar a qualidade de vida das pessoas. Com tantos avanços, 61% dos médicos utilizam a tecnologia para otimização de consultas e observação de pacientes, além de 38% utilizarem softwares para gestão de tarefas em clínicas.

Este site utiliza cookies para otimizar a sua experiência de navegação!